O namorado e 7 looks

março 25, 2016

(Eu deveria ver e tratar o meu corpo do jeito que ele faz: como ele pode usar qualquer coisa!)
Hoje em dia sempre ouvimos opiniões nos looks, amigos, namorado, família. Mas sempre optamos com o que gostamos, entretanto também temos aquele momento que não nos sentimos bem com nossas próprias roupas.

Eis que Nina teve uma experiência diferente, e que na minha opinião, foi incrível. Ela é meio insegura com algumas peças de roupa, mesmo amando moda. Só que mesmo assim seu namorado tem uma opinião contrária a dela.

Eu só quero que ela se torne confiante o suficiente para poder caprichar mais nas roupas e vestir peças que ela evitou no passado.

E com isso surgiu uma espécie de projeto, com algumas regras.

Primeiro: Eu deixaria ele escolher minhas roupas, sapatos, penteado e maquiagem durante sete dias.
Segundo: Ele poderia comprar quatro ou cinco novos itens e combiná-los com roupas que eu já tinha em meu guarda-roupa. 
Terceiro: Eu não contaria a ninguém que estava realizando esta experiência, para obter reações genuínas.
Quarto: Eu não revelaria minhas opiniões sobre as roupas escolhidas por ele até o fim do experimento.”

Vamos ao resultado:
Opiniões de ambos:

Chris: Eu me diverti muito. Eu pude brincar com todas essas peças que ela deixava de lado e para as quais ela nunca olhava e esse processo me ensinou muito sobre moda. “A experiência também me fez passar a respeitar o esforço que as mulheres fazem para se vestir e se sentirem bonitas.” Eu acho que essa semana, Nina usou algumas peças que ela sequer havia considerado usar antes e ela conseguiu segurar os looks. Ela é uma mulher bonita que fez com que as minhas escolhas, mesmo que malucas e meio bagunçadas, ficassem fantásticas.

Nina: Eu passei anos dizendo para mim mesma que eu não poderia usar certas coisas. “Mas depois de algumas horas usando essas roupas, eu me esqueci que deveria estar sentindo vergonha dos meus braços ou da minha barriga.” Eu também descobri que eu não odeio chamar a atenção tanto quanto eu pensava que odiava. Eu adorei quando as pessoas vieram em cumprimentar por causa do meu chapéu ou das minhas calças malucas. “Eu posso escolher visuais super diferentes e se eles não ficarem bons, o dia vai acabar e a vida segue.” Eu estou muito feliz por ter feito esse experimento junto com o Chris. Eu deveria ver meu corpo e tratá-lo do mesmo jeito que ele fez: eu posso usar a roupa que eu quiser.”

Na minha opinião, eu achei incrível a iniciativa dele. A forma como ele mostrou a ela que “qualquer peça” poderia deixa-la linda, e que algumas coisas poderiam ser ignoradas, como o “medo” de usá-las. 

Tendo em vista, ele destacou que também que entende o quão complicado é para “nós” mulheres nos sentimos indecisas com nosso estilo. A forma como ele mostra que podemos usar o que quisermos, mesmo que achemos que fique ridículo é muito bom. 

Claro, devemos nos vestir como gostamos e o que achamos o que fique bem conosco. Mas e quando estamos “travada na perfeição”, ou no caso, “buscando a perfeição”. Às vezes devemos nos abrir mãos do que “pensamos” que é certo e estar “aberta a novas opiniões”.

xoxo!





  • Share:

You Might Also Like

0 comentários